quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Estudante de Direito faz um melê no twitter, é demitida e responderá por crime de racismo

Eu poderia montar um blog só relatando casos de uso inapropriado de redes sociais. O número é enorme e crescente, mas existem alguns casos realmente emblemáticos, como por exemplo a história abaixo, que foi noticiada largamente nas duas últimas semanas.

No domingo das eleições no Brasil, o twitter foi inundado de mensagens agressivas contra pessoas de origem nordestina. Foram manifestações de ironia, preconceito, ódio e depreciação explícita, muito deprimente mesmo. O pano de fundo era o forte apoio da região nordeste à candidata Dilma para presidente. Aparentemente, a maioria das mensagens eram de pessoas do "sudeste-sul maravilha" que criaram uma espécie de corrente no twitter.

Nesta enxurrada de mensagens no twitter, alguns nomes se destacaram negativamente (esse é o lado bom e perverso das redes sociais, elas deixam nomes, rastros, dia e hora... prá sempre!!), entre eles o nome de Mayara Petruso. Foram várias mensagens agressivas publicadas no twitter, como por exemplo:

"AFUNDA BRASIL. Deem direito de votos pros nordestinos e afundem o país de quem trabalhava pra sustentar os vagabundos que fazem filho para ganhar o bolsa 171".

"Nordestino não é gente. Faça um favor a Sp, mate um nordestino afogado!"


A percepção é que os posts de Mayara Petruso foram o estopim de tudo. Dias depois do fato, os jornais divulgaram que o escritório de advocacia onde ela estagiava enviou uma nota para imprensa comunicando que "a estudante não fazia mais parte dos quadros do escritório" e expressando indignação pela atitude dela. O irmão de Mayara publicou uma carta aberta pedindo compreensão e desculpas. O pai da estudante também falou aos jornais sobre o episódio. Enfim, foi um melê só. Experimenta digitar o nome dela no google e veja o resultado.

A Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco (PAB-PE) entrou com uma notícia crime contra Mayara. A princípio ela poderá ser acusada de dois crimes: crime de racismo e de incitação ao homicídio. São penas de anos de prisão mais pagamento de multa. O caso ocupou os jornais do país e a notícia foi publicada em alguns veículos do exterior.

A mesma punição aplicada à estudante poderá ser aplicada a todos aqueles que publicaram frases preconceituosas, inclusive os nordestinos que, para se defender, publicaram e ainda publicam mensagens de ódio regional. A Procuradoria Regional da República de São Paulo quer punir pessoas para servir como exemplo.

Esta situação se junta a tantas outras que poderão contribuir para o fim da percepção que a internet é um território livre, onde qualquer um escreve o que bem entende, publicando calúnias e ficando isento de punições ou sanções de qualquer espécie. Já existem muitos exemplos mostrando que esse contexto está mudando. No caso de Mayara, ela poderá nem mais se formar no seu curso de direito, perdeu o emprego e teve seu nome publicamente conectado a um episódio lamentável. Só isso já seria uma "bela" punição, mas ela poderá passar algum tempo na prisão também.

O mais incrível na análise desses casos é que eles acontecem com pessoas esclarecidas. Tal qual o caso do diretor de marketing que foi demitido por uso inadequado do twitter, este caso é de uma estudante direito. Parece incrível, e é mesmo. Ela foi imprudente, emocional e incoveniente, tudo que um pretendente à cadeira de advogado não deveria ser. Juro que sinto vergonha e tristeza em ver cidadãos gastando tempo na web neste tipo de ação. Em resumo, trata-se de mais um caso na rota de amadurecimento das redes sociais.
Digite seu email


Um serviço do FeedBurner

7 comentários:

Lena disse...

Acho que a estudante ñ tinha noção da dimensão do twitter. Disse o q bem quis por achar q falava apenas com seus amigos - como se estivessem em uma mesa de bar em q se fala bobagens desse nível (e q mesmo assim me causam arrepios e vergonha). Só q esses 'amigos' tem ferramenta de retwitam para outros 'amigos' q por sua vez 'retwitta' e a mensagem ecoa.

Mauro Segura disse...

Lena. Você acredita mesmo que uma estudante de direito, estagiando num escritório de advocacia, não tinha noção da dimensão e alcance do twitter? Difícil de acreditar, né? Enfim, a gente sempre se surpreende... Obrigado por visitar e contribuir com o blog. Abcs. Mauro.

cfgouveia disse...

Lamentável o episódio, mas ao menos mostra que a internet está deixando de ser uma "terra de ninguém" . Minha única preocupação é que casos assim tornem-se desculpas para um controle excessivo do canal online, especialmente aos olhos de governos autoritários (o episódio do Twitter do MEC, o qual afirmou estar "monitorando" estudantes que se expressaram publicamente contra as falhas do ENEM foi emblemático). A liberdade de expressão precisa andar de mãos dadas com a educação, mas infelizmente a democracia brasileira ainda precisa avançar muito para que isto se torne senso comum.

camila ramos disse...

mauro, sou estudnte de jornalismo e estou concluindo minha monografia. meu estudo de caso é a ibm! gostaria mt de entrar em contato com vc, pois gostaria de uma entrevista sua em anexo a minha monografia! ja te liguei, mandei email....sou aluna da elza calazans. Por favor entre em contato! milaramos22@hotmail.com

Anônimo disse...

mauro, sou estudante de jornalismo e estou analisando a ibm ( a comunicação corporativa nas redes sociais). gostaria mt de uma entrevista sua para anexar em minha monografia. Sou aluna da Elza calazans. Por favor, entre em contato cmg..ja tentei te ligar, mandei email...rs
milaramos22@hotmail.com

Pedro disse...

E viva o canto dos passarinhos azuis!!!!

Washington Sales disse...

Mauro!
Venho acompanhado o seu blog já faz um tempo, e esse tipo de noticias mim deixa triste. É um absurdo como existe pessoa dessa natureza!
Não sei de tenho raiva ou pena de pessoa como essa moça. Mais isso é bom que aconteça para que as pessoas vejam o tamanho do poder que esses novos canais de comunicação possuem. Sou um participante das Redes Sociais e defensor do que podem trazer de benefícios para quem a usa, e também sou nordestino e nem isso uso os meus canais de difamar alguém. Isso prova que somos assim como alguns pensam!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...