segunda-feira, 26 de outubro de 2009

A tecnologia que incomoda

Descobri a frase abaixo num excelente artigo do Renato Cruz do Estadão.

"Quando os jornais impressos desaparecerem, o café da manhã deixará de fazer sentido" - frase dita por Jeffrey Cole, diretor do Centro para o Futuro Digital da Universidade do Sul da Califórnia.

Minha primeira reação ao saber dessa frase foi: "Prezado Sr. Jeffrey, o café da manhã já desapareceu há muito tempo".

Imagine-se tendo um bom café da manhã, lendo tranquilamente o jornal do dia e tomando conhecimento das notícias naquele instante. Fala a verdade pra mim. Isto é coisa do passado, né? Você consegue ter o "breakfast" sugerido na frase do Sr. Jeffrey? Nos dias de hoje, não dá tempo de tomar um café da manhã demorado, sem pressa, ainda de pijama e sem relógio no pulso (se você for da geração Y, você não terá um relógio no pulso, mas sim um celular nas mãos). As notícias você já soube no dia anterior e poucos de nós ainda pegam o jornal para ler como fazíamos anos atrás.

Enfim, são novos tempos. E, nesse embalo, tenho que confessar que fiquei entusiasmado com o anúncio da venda do Kindle no Brasil. O problema é que minutos depois todo o meu ânimo já havia desaparecido quando descobri que as condições e preço continuarão a fazer do Kindle um produto de difícil acesso. Mas, apesar dessa decepção, a chegada do "livro eletrônico" ou 'livro digital" é um caminho sem volta. Fico até arredio de falar sobre isso pois meses atrás escrevi que o livro de papel vai desaparecer e recebi dezenas de emails falando isso e aquilo de mim. O fato é que estou convencido disso e não desejo mais entrar nessa polêmica. Mas me divirto quando encontro pessoas que discordam completamente de mim, alguns até apresentam boas razões, mas quando falam do cheirinho do papel...

O artigo de João Ubaldo Ribeiro, chamado "Futuro Tecnológico", publicado no O Globo em 18/10/2009, é imperdível. Acesse AQUI. Ele fala dos novos tempos, cita o Kindle como pano de fundo e evidencia que as relações humanas estão em profunda transformação. Definitivamente ele resiste a evolução tecnológica que o mundo vem passando e acho que muitos de nós passamos por isso também.

Eu fico sonhando em ter um Kindle com todos os maravilhosos livros que tenho na minha estante de casa. São mais de 200 livros. Sonho em tê-los com as minhas marcações e rabiscos. Sonho em poder pesquisá-los instantaneamente através da busca de uma palavra chave ou frase. Atualmente estou lendo 5 livros ao mesmo tempo e não consigo carregar os livros comigo quando estou viajando, dentro do avião ou no táxi indo de um lado para outro. Tudo isso me lembra os quase 200 CDs que eu tinha (e ainda tenho) e que agora estão concentrados no meu MP3 player que carrego comigo o tempo todo, nas corridas no calçadão, no avião e na praia.

Enfim, chegaremos num dia onde o livro de papel será algo de museu, onde a mídia eletrônica será a única existente e talvez nem a palavra "livro" exista mais. Quem sabe neste dia acontecerá o que Millôr Fernandes escreveu num artigo memorável. Alguém vai inventar um novo produto revolucionário chamado L.I.V.R.O. Não deixe de ler. É espetacular. Acesse AQUI.

Digite seu email

Um serviço do FeedBurner

9 comentários:

Marketeiro disse...

é, lembro quando você fez a “previsão” que os livros sumiriam...kk gosto dos livros tbm, mas a idéia de ter uma biblioteca ambulante comigo me deixou super animado, (só me decepcionei com o preço final do produto,rs). Parabéns sempre com ótimos textos.
Abraços

Zee Lima disse...

As vezes eu fico pensando... pq há tanto melodrama no mundo! Veja só, eu acho um porre acordar e ficar lendo jornal enquanto como...

Prefiro acordar, tomar uma bela ducha, sentar na mesa e comer um belo café, conversando sobre qualquer coisa...

E olha, não tenho nada contra quem goste do jornal. Nada mesmo, só não é a minha praia, logo não espere de mim gostar disso.

Não gosto de jornais, nunca gostei. prefiro livros. Para notícias, prefiro a visão das pessoas... conversar com elas, saber o que elas acham das coisas.

Não pago para ler opiniões. Eu as pergunto. Mas isso sou eu. Ponto.

Agora essa choradeira pelo "fim de um estilo de vida", semana passada um cliente quase me levou a loucura, de tanto que ele me pediu para que acabasse com a liberdade de navegação em sua empresa.

Isso pq temos ferramentas de "tortura" para isso inigualáveis! Mas não bastava ele queria mais... tudo pq? Por causa do "velho modo de vida que esta morrendo pq os jovens são irresponsáveis".

Eu gosto das coisas como estão. Sou um Cyberpunk de carteirinha. Mas não vejo problemas em conviver com quem adora abrir um jornal no café da manhã. Ou conviver com quem acorda ouvindo Claudia Leite e pulando feito pipoca!

A real é que a diversidade é que deixa tudo mais gostoso.


Abraço a todos!

BETH GUARALDO disse...

Mauro,
vale discordar, certo?
1) dá, sim, para tomar café da manhã em paz e sem pressa. Eu faço isso todos os dias. É a forma de começar o dia em paz
2) e dá para tomar o café com o jornal. Tá certo que eles ainda estão usando o modelo tradicional, que dificilmente se acha uma notícia novaem folha. Eles precisam se reinventar. Mas, como deixar ler alguns colunistas maravlhosos^?
3) a tecnologia não incomoda. Só se a gente deixar. A maioria de nós está, sim, viciada em celular, internet... Mas, tudo tem hora e dá, sim, para deixar tudo iso de lado no fim de semana, por exemplo.
4) adoro livros, mas - e nesse ponto concordo com vc - o kindle é o máximo. E vai ser ainda melhor quando o preço for mais acessível.
Talvez eu seja um tanto "retrógrada", mas convivo em com a tecnologia, com o jornal, os livros e desligo celular e o note book numa boa.

Mauro Segura disse...

Puxa, Beth.
Sorvi cada palavra de seu comentário. Claro que vale discordar sim. E acho que até eu mesmo discordo de algumas coisas que escrevi no meu post. As vezes escrevo um posts mais picantes para desafiar mesmo. Que bom que você consegue equilibrar mais o seu dia e conviver bem com a tecnologia que nos envolve. Eu tenho que confessar que não estou conseguindo gerenciar toda a tecnologia que teima em entrar na minha vida todos os dias. Por outro lado, eu sempre tento ter bons cafés da manhã nos sábados e domingos, onde dilacero o jornal e gasto tempo lendo com calma as colunas e sessões que tanto gosto. Por fim, é muito bom saber que você também curte o desejo de ter um kindle. Abraços e obrigado por visitar o blog. Discorde sempre!!! Mauro.

BETH GUARALDO disse...

Mauro,
gostaria de fazer uma pergunta, que tem e não tem a ver com este post. Quem vc acha que deveria administrar, gerenciar (qualquer palavra que me escapa no momento) os relacionamentos digitais das corporações voltados para públicos externos (blogs, redes sociais, twitter, etc.)? A comunicação interna? A agência de relações públicas? A agência de propaganda?

Rodrigo Barbosa disse...

Mauro, excelente... adorei esse texto. Tudo haver...

A geração de hoje já não compra mais CD e isso é um fato que muitas pessoas duvidavam há dez anos atrás.. Nem por isso a geração de hoje não ouve música..

A próxima geração certamente não vai comprar livros (nem jornais) em papel.. mas nem por isso vão deixa de lê-los.

Um Abraço !

Mauro Segura disse...

Beth.
A resposta para sua pergunta de quem deveria gerenciar os relacionamentos digitais das corporações voltados para públicos externos (blogs, redes sociais, twitter, etc) não é de fácil resposta. Acho que faltam experiências práticas nas empresas para dar uma resposta certeira e contundente.
O ideal seria ter uma pessoa dedicada para isso e que essa pessoa ficasse dentro da empresa. Claro que isso depende do tamanho da empresa e dos recursos que ela dispõe. Mas, inicialmente, eu acho que a empresa tem que passar ela própria por essa experiência. Caso isso não seja possível, eu vejo com bons olhos ter a agência de relações públicas trabalhando nisso, até porque redes sociais significa diálogo e relações, e nisso uma boa agência de relações públicas tem que saber fazer muito bem. Não creio que isso deveria ficar com a agência de propaganda. Enfim, na minha visão não existe uma resposta muito clara para dar, mas acho que esse mundo de relações digitais/virtuais tem que ser tratado a parte, com foco dedicado e alguém estudando regularmente o tema. Enfim, somos todos estudantes nisso. Abraços e podemos voltar a falar mais sobre esse assunto. Vou pensar melhor a respeito. Mauro.

Antonio B Duarte Jr disse...

Esse é massa !!! Agradeço por nos deixar artigos de ótima qualidade e informações valiosas em seu Blog. Antonio B Duarte Jr. - Diretor do Ensino da Arth Informática - Curso de Informatica Online.

Mauro Segura disse...

Antonio. Agradeço o seu exagerado elogio e muito obrigado por visitar meu blog. Deixe sempre comentários. Abraços. Mauro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...