segunda-feira, 30 de julho de 2012

Uma visão pessoal: IBM Brasil tem novo presidente

Raramente escrevo sobre a IBM nesse blog, mas como trata-se de um blog onde comento a respeito da vida corporativa, me permito ao devaneio abaixo, especialmente porque hoje tivemos um anúncio muito especial.

Hoje anunciamos um novo presidente para IBM Brasil. É uma pessoa com 40 anos de idade, que entrou na empresa em 1993 como estagiário. É maravilhoso trabalhar numa empresa que possibilita fatos como este. Esta é uma empresa com fortes valores, que valoriza a performance, o desenvolvimento e o potencial de cada indivíduo. Alguns, entres eles funcionários, tendem a ver as coisas de forma diferente. Alguns reclamam da carga de trabalho. É verdade, a gente trabalha muito por aqui, parte por conta da intensa demanda que existe. É esperado que cada um de nós faça muita coisa. Parte vem da nossa organização fragmentada e complexa, que faz com que muitas decisões venham de reuniões de alinhamento e consenso. Somos, definitivamente, uma empresa que sempre decide as coisas em grupo. Eu prefiro olhar pelo lado positivo, a carga de trabalho vem de uma empresa onde a diversidade impera, onde todos têm liberdade para dar opiniões, onde todos querem escutar todos... e isso dá trabalho. Alguns alegam que na IBM se ganha pouco. Isso não é verdade. Temos uma remuneração competitiva. Todos aqueles que apresentam uma performance excepcional, certamente vão se diferenciar e serão remunerados de forma superior. Outros alegam que a nossa companhia é muito processual. Isso é verdade. Mas como trabalhar numa empresa com mais de 400 mil funcionários espalhados em mais de 170 países, extremamente complexa em sua organização e operação? Não tem como não criar processos e estabelecer métricas e controles, especialmente se considerarmos que somos uma empresa global, onde o conceito de hierarquia não funciona tão bem e onde, definitivamente, construímos um novo conceito de organização: a empresa global, que é muito diferente da tradicional empresa multinacional.

Olhar a IBM sempre provoca reflexão. É uma empresa que foca exaustivamente no desenvolvimento pessoal, que sempre sobe a barra, que celebra pouco porque no momento da celebração sempre tem alguém que levanta e diz: "E se a gente fizesse diferente? E se a gente fizesse mais? Vamos fazer mais da próxima vez?". É uma empresa que foca cidadania de forma genuína, que procura desenvolver e explorar o lado cidadão de cada funcionário. Não é por acaso que quase todas as atividades de cidadania da IBM partem do princípio da participação e colaboração do funcionário. É uma empresa onde a comunicação é livre e transparente, com mídias sociais liberadas que permite termos mais de 15 mil blogs ativos. É uma empresa que forma líderes. A IBM ficou em primeiro lugar no ranking das companhias que melhor formam líderes no mundo segundo a pesquisa da Hewitt. Mas, acima de tudo, é uma empresa que privilegia o indivíduo, que dá chance a todos, que privilegia a performance, que adora pessoas que gostam de aprender, que puxa o potencial dos funcionários e que oferece oportunidades a todos. Cabe a cada um conquistar as oportunidades que estão sempre à frente e mostrar o que tem de melhor. A empresa está pronta para ver e abraçar isso.

O novo presidente da IBM Brasil, Rodrigo Kede, é o melhor executivo com quem já trabalhei na vida. É jovem, brilhante, inspirador e empreendedor, cabeça aberta e com uma surpreendente visão de negócios. É atleta, gosta de correr, também gosta de praia. Diz que pratica surfe. Não sei como ele pratica surfe em Sampa !! :) Certamente vou viver na IBM Brasil os momentos mais interessante na minha vida de trabalho. Estou ansioso por isso.

Ricardo Pelegrini, também brilhante executivo, até hoje presidente da IBM Brasil, sai do comando deixando um legado muito importante. Nos seus quase 5 anos de comando, ele praticamente dobrou a receita da companhia e colocou a IBM Brasil no contexto global, trazendo o "Research Lab" para o Brasil e implementando um vigoroso programa de expansão geográfica. O presidente anterior, Rogerio Oliveira, já havia dados os primeiros passos em relação à globalização e expansão, com crescimento forte e sendo o mentor da implementação do Global Delivery Center de Hortolândia. Ou seja, uma sequência de boas notícias, uma sequência de crescimento. Agora cabe ao Rodrigo fazer a sua história.

Não! Esta não é uma declaração de veneração à IBM. Esta é uma visão de uma pessoa que já trabalhou em muitas empresas diferentes, algumas pequenas, outras grandes, com todo o tipo de liderança, tendo 30 anos de trabalho nas costas e que consegue saber muito bem o que realmente vale a pena.


Digite seu email

Um serviço do FeedBurner

18 comentários:

Rubens Mendrone disse...

Sem sombra de dúvidas o Rodrigo é um cara completamente fora curva. Iniciar a carreira como estagiário e depois de 19 anos assumir a presidência de uma empresa que diga-se de passagem é a IBM, não é pra uma pessoa qualquer. Ele claramente não dá muito ouvido pro blablabla das pessoas comuns. Tenho certeza de que muita gente muito mais "senior" e muito mais velha do que ele não acreditou e não apoiou essa designação. Ele deve ter ouvido muitos "Cara, não viaja, tem muita gente na sua frente" e por sorte não se deixou afetar por esse tipo de gente que não enxerga nenhum palmo à frente do nariz. Mudanças como essa me fazem acreditar que cada segundo que sou fiel aos meus ideais e aos meus valores, mais próximo eu fico de alcançar meus objetivos dentro da companhia. Saber que as pessoas são recompensadas por sua competência e por sua dedicação me traz conforto e motivação. Parabéns ao Rodrigo e parabéns à vc pelo post ousado e transparente sobre a sua visão da nossa Big Blue. Abraço Mauro !

Junião disse...

Poxa que notícia boa! Parabéns ao Rodrigo Kede por alcançar seus objetivos, mas acho que o mais importante neste texto vai além disso: é uma prova concreta de que se você seguir seus sonhos com dedicação as coisas acontecem. Obrigado pelo texto Mauro!

Camila Della Negra disse...

Mauro, mesmo aqui, em licença-maternidade, fiquei sabendo desse anúncio que me deixou ao mesmo tempo surpresa e feliz. Surpresa justamente por imaginar, como disse o Rubens, que haveria muita gente na frente dele. Mas feliz por ver uma pessoa jovem, determinada e aberta a novas ideias ocupando o posto de GM.
Muiro boa sorte ao Rodrigo!

Silvia Tabosa disse...

Mauro seu texto esta muito bom. Só quem trabalha ou trabalhou nessa Empresa sabe o valor que ela da a seus funcionários. Parabéns ao Rodrigo Kede.

nelson chapira disse...

Caro Mauro,
Não tenho ligações no setor de TI corporativo nem com a IBM, em particular.
Interessante que nunca ouvi falar de nenhum dos presidentes que citou, todos com realizações marcantes nas respectivas gestões.
O novo, pelo que diz, também promete.
Será que o fato de nunca ter ouvido falar nessa pessoas, embora ouça falar muito da IBM, tem algo a ver com o perfil de requisitos para o sucesso na presidência de uma empresa? Faz sentido?
Abs.

lfccosta@terra.com,br disse...

Mauro. Mesmo aposentado desde 1991, tenho acompanhado o sucesso da IBM e o seu com muita alegria. Concordo plenamente com Vc., Alem de ser uma grande companhia onde trabalhei 35 anos tive muitos desafios e satisfações e recompensa. A IBM é uma grande escola de administração e de formação de pessoas com caracter. Abraços Luciano Costa.

Pedro Esnarriaga Amorosino disse...

Adorei o post Mauro, muito INSPIRADOR para mim como um IBMista, acendeu mais uma luz em minha carreira nesta empresa.

Pelo fato de ser jovem, como o Rubens disse, a IBM provou mais uma vez que reconhece seus funcionários por mérito mesmo.

Gostei muito do como abordou o fato do Rodrigo ser surfista, gosto tb de esportes "radicais" e sempre temi um pouco como as empresas vêem isso, por outro lado eu vejo diferente, vejo como diferentes aprendizados, por exemplo:
-já dei aulas para garantir o meu treino, com isso aprendi a ensinar e passar meu conhecimento (ser um coach), a me relacionar com cliente e a estimular as pessoas a darem o melhor de si em busca da evolução;
-sempre treinei muito buscando ganhar campeonatos (poucos, mas pelo menos participava rs), com isso aprendi a ter foco para alcançar meus resultados;
-sempre precisava aprender novos truques, isso me ensinou a ter determinação e não desistir depois do primeiro tombo.

Claro que tudo isso foi nos meus 20 e pouco e aprendi muito do que sou hoje nesse esporte, hoje apenas um hobby de fim de semana com os amigos :)


Mas voltando, vejo isso como uma grande mudança nos "pré (históricos) conceitos" organizacionais, onde antigamente um surfista ou qlqr praticante de esportes "alternativos" era mau visto pelas empresas, hoje temos um GM que faz parte dessa tribo e tenho certeza que muito do que ele vivenciou no seu esporte/hobby ele aplicou no seu dia a dia no trabalho e ajudo a fazer dele essa pessoa "fora da curva" como bem disse o Rubens. A IBM inovando sempre!!
Parabéns ao Rodrigo, desejo muito sucesso a ele e a IBM!!
E no futuro a IBM Brasil ainda terá um GM wakeboarder e esquiador. Acho que até lá você estará aposentado, mas ai tomamos um chopp para relembrar este post! ;)

Mauro Segura disse...

Pois é Nelson,
Temos algumas estratégias claras na IBM em comunicação e marketing, uma delas a respeito de como desenvolvemos os planos de comunicação de nossos líderes, sejam eles da corporação, sejam eles do Brasil. Você nunca verá o nome de um líder nosso ter mais destaque que a própria IBM. Isso não acontece por acaso. Por mais que os líderes sejam transformacionais e impactantes, eles sempre passarão e a instituição ficará. Sempre haverá um dia seguinte. É assim que trabalhamos a acreditamos. Talvez essa seja uma das estratégias vencedoras para uma empresa que já passou de 100 anos de vida, como a IBM. Muitas empresas reconhecidas de mercado fazem diferente, alavacando seus líderes a um ponto onde pessoa e empresa viram uma coisa única. Isso funciona durante um tempo, mas acreditamos que não é a melhor estratégia. Enfim, interessante esse ponto levantado, me permitiu apresentar o ponto aqui. Abraços e obrigado por acompanhar o blog. Mauro.

ruthhiromi disse...

Mauro, concordo com voce em genero, numero e grau com cada palavra .
E´ certamente um privilegio termos tido a oportunidade de conviver com pessoas tão especiais em uma Cia. tambem muito especial.

Romeu coutinho disse...

Grande Garoto, continuo acompanhando as notícias sobre a IBM, depois de 10 anos aposentado, as vezes ainda digo o nome da IBM, quando me refiro a empresa que trabalho, hoje.

Romeu coutinho disse...

Grande Garoto, continuo acompanhando as notícias sobre a IBM, depois de 10 anos aposentado, as vezes ainda digo o nome da IBM, quando me refiro a empresa que trabalho, hoje.

Roberta Machado disse...

Mauro, dá um tremendo orgulho mesmo fazer parte deste time! As pessoas da IBM são preparadas em um nível de excelência como vejo em poucas empresas. Performance extraordinária deve-se a pessoas extraordinárias. Assino embaixo.

Ricardo Vicalvi disse...

Tive a oportunidade de trabalhar com o Kede e é sem dúvida uma ótima escolha.

Não chego a concordar com todo o texto, mas sem dúvida a IBM também tem grandes diferenciais.

Grande abraço,
Ricardo

Pedro Esnarriaga Amorosino disse...

Oi Mauro, entrei para reler o texto e vi o comentário Ricardo Vicalvi, realmente tb não concordo com algumas partes do texto. Sendo assim coloco-me a sua disposição para qlqr dia conversarmos sobre esse tema, talvez até ajude-o a melhorar a abordagem de comunicação em determinadas áreas de acordo com essas discrepâncias.
Só pingar ou mandar email: pedroea

Forte abraço
Pedro

Mauro Segura disse...

Ricardo, Pedro e outros. Como fala o título do post: esta é uma visão pessoal. Cada um viveu ou vive uma experiência pessoal dentro da IBM. Eu trabalhei de 1987 a 2000 na IBM, saí e voltei em 2006. Tenho toneladas de histórias para contar. O tempo acumulado de quase 30 anos de trabalho me dá muita lucidez na visão e interpretação das coisas e fatos. Enfim, esta é uma visão bem pessoal. A IBM, como qualquer empresa, é um copo cheio pela metade. Cabe a você optar pela metade cheia, ou pela metade vazia. Ahhh, e o "tamanho" da metade cheia depende completamente de você.
Abraços e obrigado por colaborar e prestigiar o blog. Mauro.

Anônimo disse...

Boa resposta Mauro e concordo contigo. Felizmente as pessoas possuem opiniões diferentes algumas para mau outras para bem. Eu prefiro não me iludir porém continuo olhando para o lado bom. A IBM é de fato uma empresa cheia de qualidades e bons profissionais! Já vou completar quase 5 anos... admiro você ter ficado 30 e depois ainda ter voltado. Bruno

Bruna Gomes disse...

Muito bom ver alguém falando assim da empresa onde trabalha.

Carlos Policarpo dos Santos disse...

Mauro, meu bravo : Gostei muito do seu texto ! Ele é verdadeiro, otimista e nos dá a exata visão do que é a IBM. Fui parceiro dessa grande empresa de 1970 a 1987 e depois, como Dealer, de 1987 a 1994 Em nenhum momento, me arrependí de ter me aliado a ela. Pelo contrário: pauto minha vida profissional e familiar dentro dos conceitos e aprendizado que ela me passou. E creia: me dou muito bem agindo assim ... Parabenizo o novo Presidente Rodrigo Kede, desejando-lhe grandes e frutíferas realizações. Em meu período de trabalho, conviví com o saudoso José Bonifácio Amorim, o Robelí Líbero ( mineiro como eu ) e o Rudolf Rohn. Esses ex-colegas também implementaram e venceram grandes desafios. Gostaria de congratular-me com você e aproveitar para convidá-lo para participar de um grande Encontro com mais de 150 ex-ibmistas, que ocorrerá num Almoço, no próximo 29 de setembro, em SP. Esse convite é extensivo a outros colegas que queiram participar. Me escreva, se puder para que eu possa dar mais detalhes. Forte abraço. c.policarpo@terra.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...